segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

‘Krypton’: Série sobre o planeta do Superman ganha trailer

Com o piloto aprovado pelo canal Syfy, a primeira temporada contará com 13 episódios. A história é um prequel para a conhecida história de origem do ‘Superman‘.

A criação é de David Goyer (‘O Homem de Aço‘). A atração vai ser ambientada anos antes do surgimento do super-herói, quando o lar de Kal-El era oprimido e condenado ao ostracismo. A trama acompanhará os esforços do avô do Superman em trazer esperança e igualdade para Krypton, um planeta em desordem e indigno de dar luz ao maior herói já conhecido. O ator Blake Ritson (‘Da Vinci’s Demons’) interpretará o vilão Brainiac, um androide alienígena muito inteligente e um dos vilões mais antigos do herói da DC. A atriz Paula Malcomson (‘Ray Donovan’) também entra para o elenco. Ela dará vida à Charys, a matriarca da Casa El e a tataravó do Superman. Ian McElhinney (‘Game of Thrones’), Elliot Cowan (‘Martelo dos Deuses’), Ann Ogbomo (‘Guerra Mundial Z’), Wallis Day e Aaron Pierre completam o elenco. Ian Goldberg (‘Once Upon a Time’, ‘FlashForward’) escreveu o episódio piloto e também assina a produção executiva ao lado de Goyer. Ainda sem data definida, ‘Krypton’ deverá estrear nos primeiros meses de 2018.

domingo, 10 de dezembro de 2017

Morre a atriz Eva Todor, aos 98 anos

Morreu em casa por volta das 8h50m da manhã deste domingo a atriz Eva Todor, aos 98 anos. A informação foi confirmada por amigos da artista. A causa da sua morte foi pneumonia. Ainda não há informações sobre o velório. — A Eva vinha sendo muito bem cuidada pelos enfermeiros e recebia visita de amigos com frequência.

Ela esteve doente todo o ano e morreu de pneumonia. Eu estava aqui na hora com alguns enfermeiros e empregados. A Eva teve toda a assistência — disse Marcelo Delcima, amigo da atriz, que havia sido internada em março deste ano. Eva Todor sofria de Mal de Parkinson e estava longe da TV desde a novela “Salve Jorge”, exibida em 2012. A última aparição pública da atriz foi em novembro de 2014, quando recebeu uma homenagem feita por amigos artistas no Teatro Leblon. A atriz somava mais de 80 anos de carreira. O início nos palcos foi por meio do balé, ainda na infância. Húngara de nascimento, Eva Todor (que tinha o sobrenome Fodor de batismo) chegou a dançar na Ópera Real de Budapeste. Filha de uma estilista e de um comerciante de tecidos, ela já mostrava talento para a vida artística, mas a realidade complicada do período entre guerras na Europa a fez fugir com a família para o Brasil, em 1929. Por aqui, entretanto, rapidamente a pequena retomou a rotina com sapatilhas, tendo aula com a renomada Maria Olenewa. Não era à toa o envolvimento com o universo cultural. Em entrevista ao site "Memória Globo", Eva contou que seus pais, "como bons húngaros", achavam que toda criança deveria ter uma educação ligada à arte. Foi por meio do contato com um crítico de teatro que surgiu a oportunidade de fazer um teste para integrar o elenco de uma peça com Dulcina de Moraes.

Mas não deu certo — o português de Eva ainda era incipiente, e ela foi reprovada. Pouco tempo depois, entretanto, ela conseguiu entrar na carreira por meio do teatro de revista. Aí deslanchou. “Fiz um sucesso muito grande. Fiquei quatro ou cinco anos. E foi onde conheci meu primeiro marido, que era o diretor da companhia (Luis Iglesias). Eu me casei aos 14 anos. Depois, ele achou que aquilo não tinha futuro e montou uma companhia de comédia para mim. Todo mundo disse que ele era louco, porque eu era uma menina que não tinha experiência nenhuma e, além do mais, falava português pessimamente. Mas, deu certo. E a companhia ficou sendo Eva e seus Artistas, durante muitos anos. Só de Teatro Serrador, fiquei 23 anos”, relatou ela ao "Memória Globo", lembrando que graças ao teatro resolveu "aportuguesar" seu sobrenome para Todor. A naturalização como brasileira aconteceu com a forcinha de um personagem ilustre. Na década de 1940, quando fazia uma peça no Teatro Municipal, ganhou Getúlio Vargas como admirador, o que facilitou o processo para conseguir a identidade nacional. Na década de 1950, a atriz comandou um programa próprio na TV Tupi chamado "As aventuras de Eva". Ali, já mostrava a aptidão para o humor que caracterizou suas oito décadas de carreira. Dali para frente, a televisão foi um de seus trabalhos prediletos. Foi nas novelas e séries televisivas que ela se tornou um rosto conhecido dos brasileiros. Fez "Partido alto" (1984), "De corpo e alma" (1992), "O cravo e a rosa" (2000), entre várias outras. No cinema, Eva fez sua estreia ao lado de Oscarito, em 1960, com "Os dois ladrões", de Carlos Manga. Foram cinco filmes no currículo, o último em 2008 ("Meu nome não é Johnny").

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

ALCKMIN DERROTADO NA JUSTIÇA-MAGISTÉRIO TEM GANHO DE CAUSA PARA REAJUSTE RETROATIVO


Maior astro do rock francês, cantor Johnny Hallyday morre aos 74 anos

Considerado por muitos o maior roqueiro da França, Johnny Hallyday morreu aos 74 anos nesta quarta-feira (6).

O cantor enfrentava um câncer no pulmão. Em declaração, sua mulher Laeticia Hallyday disse que "ele nos deixou hoje como viveu toda sua vida, com coragem e dignidade". Hallyday tinha forte presença de palco inspirada em Elvis Presley e um estilo musical com influências de Chuck Berry e Buddy Holly. Embora sua fama tenha sido restrita aos países de língua francesa, ele vendeu cerca de 110 milhões de discos em 50 anos de carreira.

O presidente da França Emmanuel Macron, por meio de uma declaração, afirmou que o cantor "trouxe uma parte da América para o nosso panteão nacional". Hallyday chegou a usar sua fama para apoiar líderes como Giscard d'Estaing e Jacques Chirac.

O roqueiro, porém, deu um basta à política depois de se desiludir com o mandato de Nicolas Sarkozy, que ajudou a eleger em 2007. Em 2006, o cantor causou polêmica na França ao anunciar que iria se mudar para a Bélgica para fugir dos altos impostos locais. Dois anos antes ele precisou depor à Justiça após ser acusado de estupro.
 

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Morre Carmen Mayrink Veiga, aos 88 anos

Morreu na tarde de domingo, aos 88 anos, a socialite Carmen Mayrink Veiga. Um dos maiores símbolos da elegância no país, Carmen faleceu em casa, no Rio de Janeiro. A filha Antônia Frering lamentou a perda com uma publicação em suas redes sociais, que mostra apenas uma imagem antiga da mãe com um coração partido na legenda.Filha de Maria de Lourdes de Lacerda Guimarães e Enéas Solbiati,, nasceu numa tradicional família do sudeste brasileiro. Pelo lado materno, é neta do barão de Arari e sobrinha-neta do barão de Araras. Sua mãe era prima-irmã de Ana Paulina de Lacerda Guimarães, casada com Antônio Álvares Leite Penteado (depois titulado conde de Álvares Penteado, pela Santa Sé, na pessoa do papa Pio X). Ambos eram pais de Armando Álvares Penteado, criador da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP).

Sua mãe era também prima-irmã do senador Antônio de Lacerda Franco, banqueiro e fazendeiro. O pai de Carmen, Enéas Solbiati, era um rico financista do interior de São Paulo. Foi cônsul honorário do Reino da Itália. Carmen, já famosa no mundo da moda, frequentadora assídua dos desfiles da alta costura francesa, atraiu a imprensa especializada como a Paris Match quando se casou, a 25 de junho de 1956, com o empresário Antônio (Tony) Alfredo Mayrink Veiga, filho de Antenor Mayrink Veiga e herdeiro de uma fortuna multimilionária. O casal teve dois filhos: Antenor e Tereza Antônia. A empresa da família de Tony, a Casa Mayrink Veiga, foi representante de fornecedores de armamentos para o Exército Brasileiro e a Guarda Nacional, desde a época do Império do Brasil (1822-1889), acumulando vultosa fortuna durante a Guerra do Paraguai (1864-1870), acumulação que prosseguiu até os anos 1980, quando a empresa se tornou também fabricante dos armamentos - segundo Tony, por pressão da Marinha - e iniciou sua trajetória descendente, até ser atingir o fundo do poço, em 1992, na sequência do Plano Collor (1991-1993)

Além disso, houve a quebra do conglomerado inglês Ferranti, em 1993, que devia muito à sua empresa. Uma outra explicação para a derrocada da Casa Mayrink é que, com o fim da ditadura militar no Brasil, não foram renovados os polpudos contratos com o Exército, a Marinha e a Aeronáutica. A família também era proprietária da rádio Mayrink Veiga, que foi fechada após o golpe militar de 1964. Para pagar as dívidas, os Mayrink Veiga tiveram que se livrar dos bens, inclusive o retrato de Carmen, pintado por Cândido Portinari, em 1959. "Não sinto falta dessas coisas. Aproveitei bastante e não me arrependo de nada", diz Carmen. "Mas vou ficar com saudade de meu Portinari", completaou. O casal teve penhoradas centenas de obras de arte, tapeçarias persas exclusivas para realezas do século XVIII, um serviço de porcelana Imari para 200 pessoas, carros de luxo, incluindo seu Rolls-Royce 1951, e jóias pessoais, além de algumas propriedades rurais e urbanas, que foram leiloadas para saldar dívidas. O destaque, no leilão realizado em 2007, foram onze obras do artista Milton Dacosta, cujo valor sultrapassou R$ 1,5 milhão. O conjunto de jantar de porcelana japonesa alcançou R$ 420 mil. Já o retrato de Carmen, pintado por Cândido Portinari e cujo valor inicial era de R$ 350 mil, não obteve lance e continua com a família.

O casal continuou por mais alguns anos em seu mega-apartamento de quase 1.000 metros quadrados na Praia do Flamengo, de frente para o Pão de Açúcar, no Rio de Janeiro, ainda bem provido de peças de arte e decoração. O casal, Tony e Carmen, considerado por Truman Capote, Diana Vreeland e Anna Wintour, na revista Vogue estadunidense, como "as pessoas mais chiques da América do Sul", participou de diversos eventos do jet set internacional, entre caçadas na África, e festas com multimilionários de diversos países. Costumava fazer muitas festas na sua residência e transportava convidados a bordo de supersônicos Concorde para temporadas de caça na Inglaterra, França e Áustria. Carmen foi retratada por artistas como Portinari, Andy Warhol e Di Cavalcanti, e fotografada por Francesco Scavullo, Richard Avedon, Mario Testino, Bob Wolfenson, Tuca Reinés e outros. Entre os amigos no Brasil, grandes nomes da aristocracia e da sociedade carioca e Paulista, como a família Imperial Orleans e Bragança, em especial o príncipe Pedro Gastão e a princesa Esperança de Bourbon, a baronesa Silvia Amélia de Waldner, a baronesa Geuza Alvarenga Amaro, o marquês de Salamanca Olavo Egydio Monteiro de Carvalho, o conde Francesco Matarazzo, conde Francisco Scarpa, o jornalista Roberto Marinho e a esposa Lili, a jornalista Hildegard Angel, o playboy Jorginho Guinle. Carmen também recebeu uma polêmica "homenagem" no videoclipe da canção "Imitation of life", da banda R.E.M., que mostra caricaturas inspiradas em Carmen, Madonna e Demi Moore. Quando o videoclipe estava para ser produzido, Carmen causou admiração quando, depois de comparecer à entrega do Óscar, demorou 20 minutos para desembarcar de uma limusine para o jantar oferecido por Madonna e Demi Moore em Los Angeles.

A demora deveu-se ao tamanho do vestido de Carmen, que entrou no salão ao lado de Madonna. Carmen fez parte das listas das mulheres mais elegantes do Brasil e, em 1981, entrou para a seleta lista das pessoas mais bem vestidas do mundo, da revista Vanity Fair. É também a única brasileira citada na biografia oficial de Yves Saint Laurent e listada nos registros de clientes da alta costura de Paris desde jovem. Ela escreveu o livro ABC de Carmen, publicado pela Editora Globo em 1997, sobre etiqueta e seu estilo pessoal. Foi convidada para atualizar e comentar, para a América do Sul, o O Livro Completo de Etiqueta de Amy Vanderbilt, publicado no Brasil pela Editora Nova Fronteira. Em 2003, a Casa de Arte e Cultura Julieta de Serpa, no Rio de Janeiro, organizou uma exposição com 67 de seus mais de 400 vestidos de alta costura - uma coleção considerada rara pelos especialistas em arte e alta moda. Atualmente, o casal Carmen e Tony Mayrink Veiga, já idoso, enfrentava problemas de saúde. Tony teve um infarto, e Carmen sofre de paraparesia espástica tropical, doença que limita seus movimentos. Em 2013, num novo leilão, mais de 100 peças de arte e decoração foram arrematadas em São Paulo. No entanto, a peça mais cobiçada do leilão - o retrato de Carmem, pintado por Portinari em 1959 - não encontrou comprador.

O motivo do leilão, segundo Carmem, é a mudança para um imóvel menor, contíguo ao seu apartamento da Praia do Flamengo . "Desde que me tornei cadeirante e que meus empregados foram se aposentando, não faz mais sentido ficar num apartamento tão grande." Ela se tornou uma espécie de ativista pela causa dos cadeirantes, conseguindo que rampas de acesso e outras facilidades indispensáveis para deficientes físicos fossem instaladas em grandes hotéis como o Copacabana Palace,[10] restaurantes e edificações históricas, como o Teatro Municipal do Rio de Janeiro, que ganhou um elevador panorâmico específico para cadeirantes, que Carmen inaugurou. Carmen também é conhecida por ser expert em porcelanas orientais, arte e gemas preciosas e, principalmente, conhecida por sua paixão por gatos, incentivando a castração e adoção de gatos vira-latas. Carmen conseguiu criar a raça "gato brasileiro tigrado pêlo curto" para os gatos que antes não tinham raça definida.

sábado, 2 de dezembro de 2017

SP-Emissoras atrasadas na transmissão digital perdem grande audiência pelo interior do estado

Muitas grandes redes de tv já disponibilizam seu sinal HD no estado de SP,mas outras,nem com o adiamento da interrupção do sinal analógico, conseguem colocar sua alta definição no ar.

Na região de Campinas,por exemplo,mais de 85% dos lares já recebem o sinal HD e parece que desistiram de vez do analógico.Com isso,outras emissoras que estão atrasadas no sistema deixaram de ser sintonizadas.

A audiência dessas atrasadinhas foi medida e se constatou que o povo prefere agora ver qualquer coisa em HD do que mudar a tv para um canal analógico.
As lanterninhas que perderam audiência são:- 
TV GAZETA- 100% de perda 
BAND-90% de perda 
TV CANÇÃO NOVA-95% de perda 
RECORDNEWS-100% de perda 
TV SÉCULO21-100% de perda

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Filme A "história não contada" de Maria Madalena e Jesus ganha trailer; veja

O filme "Maria Madalena" ganhou o primeiro trailer legendado nesta quarta-feira (29) e apresenta a "história não contada" do relacionamento entre Jesus e sua discípula.
Protagonizada pelos indicados ao Oscar Rooney Mara e Joaquim Phoenix, a produção dirigida por Garth Davis ("Lion - Uma Jornada Para Casa") foca em uma dos nomes mais discutidos da Bíblia, que deixou para trás sua família tradicional para se juntar a um movimento social. "É isso que se sente quando se une a Deus", pergunta Maria para Jesus, que responde: "Nunca me perguntaram qual a sensação". Maria, mãe de Jesus, é sincera com a seguidora de seu filho. "Você ama meu filho, não é? Deve se preparar, como eu, para perdê-lo". "Maria Madalena" chega aos cinemas brasileiros no dia 30 de março de 2018.

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

A Globo, do outro lado do paraíso

Nenhuma rede de comunicação foi – e ainda é – tão influente na história recente do Brasil como a Globo. Na época da ditadura civil-militar, o grupo Globo se consolidou como o maior do país e um dos maiores do mundo. A redemocratização chegou, e as Organizações Globo seguiram fortes. Nos protestos de junho de 2013, a cobertura da TV Globo e da Globo News foram decisivas para consolidar a narrativa de que os manifestantes eram “vândalos”. A Globo influenciou a opinião nacional na forma como cobriu a Lava Jato, os movimentos pelo impeachment de Dilma Rousseff e contra o PT, assim como na divulgação dos grampos ilegais da conversa gravada entre Lula e a então presidente do país. E, finalmente, foi em O Globo, principal jornal do grupo, que foi denunciada uma conversa altamente comprometedora entre o presidente Michel Temer (PMDB) e Joesley Batista, dono da JBS, à noite, no palácio residencial e fora da agenda, e que culminou com um editorial defendendo a renúncia de Temer – mas não eleições diretas.

Como todos sabem, Temer não caiu até hoje. Até bem pouco tempo atrás seria difícil alguém acreditar que viveria para ver a Globo ser chamada de “comunista” Há algo novo no horizonte da Globo neste momento. Para parte daqueles identificados com a esquerda, a Globo é “golpista”. Essa parcela aponta a rede, em especial a TV Globo e a Globo News, como protagonista do “golpe parlamentar” que tirou Dilma Rousseff, uma presidente ruim, mas legitimamente eleita, do poder. Essa narrativa é alimentada não só pelos fatos atuais, mas pelo passado da emissora: em especial a edição do último debate entre Fernando Collor de Mello e Luiz Inácio Lula da Silva, nas eleições de 1989. Era o primeiro pleito presidencial após o fim de uma ditadura que durou 21 anos, detonada por um golpe civil-militar que a Globo apoiou, fato pelo qual pediu desculpas em 2013. A desconfiança contra a Globo, disseminada em uma parcela considerável dos que pertencem ao campo progressista, é permanente. E vem se acirrando desde 2013, amplificada pela facilidade de difusão das redes sociais.

Essa ligação com o “golpismo”, mais incisiva neste momento, está intimamente ligada ao passado da Globo, mas também a algumas escolhas do presente. A novidade, porém, está em outro campo, na parcela da sociedade que chama a Globo de “comunista”. Essa é a parte surpreendente mesmo para aqueles que sempre consideraram a Globo responsável por todos os problemas do Brasil. De comunista, virou também “pró-Lula” e “pró-PT” e até mesmo “pró-Cuba”. Até bem pouco tempo atrás seria difícil alguém acreditar que viveria para ver a Globo ser chamada de “comunista”. Mas, no atual momento do país, o impossível é um conceito desidratado pelo sem limites da realidade política. A esse clamor tem se juntado parte do fundamentalismo evangélico, concentrado numa parcela das igrejas pentecostais e neopentecostais, que tem dado novos sentidos ao que chamam de comunismo.

Desde que essa parcela do evangelismo começou a crescer no país, a se articular como força política no Congresso e a ter na TV um de seus principais meios de proselitismo religioso (e também político), as escaramuças com a Globo, por um lado, e as tentativas de aproximação da rede com lideranças evangélicas, por outro, têm sido uma constante especialmente desde 2010. É fundamental lembrar que a principal concorrente da Globo é, já há algum tempo, a Record, ligada à Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), do Bispo Edir Macedo. A forma como é vista a maior rede de comunicação do país por grupos muito diferentes entre si é crucial para compreender o atual fundo do poço sem fundo Como tudo, no Brasil atual, nada é simples. Muito menos previsível. Na tarde do sábado (25/11), a hashtag #GloboLixo viralizou nas redes. Durante uma transmissão ao vivo, em que o repórter informava sobre o estado de saúde de Michel Temer, que passava por uma angioplastia no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, um homem parou bem atrás do repórter e começou a gritar: “Globo Lixo!”. A transmissão teve de ser interrompida, e as redes sociais foram tomadas por todo o tipo de comentário com #GloboLixo. O curioso no episódio é que a hashtag foi usada por pessoas que em todo o resto discordam de forma visceral. Embora a maioria claramente pareça pertencer ao campo conservador, havia muitos ligados ao campo progressista. A Globo era “#GloboLixo” por motivos muito diversos e até mesmo opostos, unindo campos que têm se mostrado inconciliáveis no cotidiano do país.

Hoje, a Globo (assim como outros veículos de comunicação) tem sido chamada de “lixo” também por grupos que até bem pouco tempo atrás eram tratados por ela como a face nova e arejada da democracia numa “cruzada contra a corrupção” ou como os jovens rostos do liberalismo, o que não deixa de ser uma ironia. Isso não significa que a Globo atingiu uma unanimidade negativa, mas que este momento do Brasil se torna mais e mais complexo. E a forma como é vista a maior rede de comunicação do país por diferentes grupos é crucial para tentar compreender o atual fundo do poço sem fundo. A pecha de “comunista”, relacionada à Globo, é a mais desafiadora, porque tão delirante quanto calculada. Até o Santander, um dos maiores bancos privados do mundo, foi chamado de “comunista” durante o ataque à exposição QueerMuseu, em Porto Alegre, no qual a direção do centro cultural capitulou diante dos manifestantes. Chamar tanto o Santander quanto a Globo de “comunistas” pode ser compreendido como uma falha cognitiva desses acusadores. Mas este é um caminho fácil demais. “Comunismo”, hoje, no Brasil, aparece associado aos costumes e aos temas morais Uma pista importante é a ligação entre comunismo e temas morais neste momento em que grupos estridentes, mas não necessariamente representativos do pensamento da maioria dos brasileiros, como pesquisas já mostraram, têm produzido ataques contra a arte, artistas e museus, assim como episódios como a queima como “bruxa” de uma boneca com a cara da pensadora americana Judith Butler. Comunismo, hoje, no Brasil, para alguns grupos, está muito mais associado aos costumes. A tudo que, para estes grupos, representa “aquilo que não presta”, categoria em que costumam colocar no mesmo patamar a reivindicação de um direito civil, como o casamento gay, e um crime, como a pedofilia.

Neste mesmo sentido, algumas lideranças no campo da política, movidas pelo oportunismo, popularizaram a frase “querem transformar o Brasil numa Cuba”, como se essa fosse uma ideia real em circulação. Sem contar que a Cuba de Fidel Castro promoveu a perseguição e o encarceramento de gays e de lésbicas, uma face que a tornou mais parecida com aqueles que repetem essa frase sem noção. O mais interessante desse processo é que a famosa ameaça do passado, que se tornou um tanto anedótica, a do “comunista comedor de criancinhas”, ganha uma literalidade de acepção sexual com o recente fenômeno nacional de enxergar pedófilos em quadros, performances e museus e acusar os autores das obras e os responsáveis pelas exposições como propagadores não só da pedofilia, mas também do comunismo. Nessas decodificações recentes que despontaram na sociedade brasileira, ser comunista seria, em resumo: “Corromper nossas crianças, acabar com a família brasileira, estimular a pedofilia e fazer todo mundo virar gay”. Essas ligações não são novas, basta lembrar das marchas Da Família, com Deus e pela Liberdade, marcadamente católicas, que precederam a ditadura civil-militar, em 1964, contrapondo-se à suposta “ameaça comunista”. Mas, no Brasil atual – e na era da internet – isso aparece com nova roupagem e com novos atores e com muito mais virulência, o que torna tudo mais complicado. Se a Globo é conservadora na linha editorial do seu jornalismo, em seus produtos culturais aborda temas caros ao campo progressista Assim, não é apenas uma falha cognitiva ou uma deficiência educacional ou ainda uma ignorância, já que nada mais distante do comunismo do que a Globo ou o Santander. (E sem esquecer que tampouco o comunismo é um conceito teórico fechado ou acabado nem suas experiências reais foram menos do que controversas.) Mas, neste caso, trata-se também de uma nova construção de sentidos, com pouca ou nenhuma conexão com o conceito original de comunismo. Em vez de ser ridicularizada, essa apropriação deve ser escutada, estudada e compreendida. Inclusive porque cresce e porque tem influenciado o cotidiano do país. Se a Globo historicamente é ligada a grupos políticos conservadores na linha editorial do seu jornalismo, capitaneado pelo Jornal Nacional, em seus produtos culturais, especialmente nas novelas e minisséries, a emissora traz temas importantes e caros ao campo progressista na área dos costumes e da crítica social. Basta lembrar de novelas como O Bem-Amado, de Dias Gomes, ou séries como Malu Mulher, ambas em plena ditadura. Após a redemocratização do Brasil, temas relevantes para o debate progressista foram tratados pelas novelas, especialmente nos últimos anos. Não apenas por vocação de seus criadores, é importante sublinhar, mas também por pressão de grupos da sociedade cada vez mais articulados. Sempre muito atenta aos sinais do país, a emissora contabiliza alguns marcos, como a exibição integral no Fantástico do documentário Falcão: meninos do tráfico, feito por MV Bill e Celso Athayde, em 2006, assim como a aproximação com as periferias em programas como o Esquenta!, de Regina Casé. Mesmo no jornalismo, há programas de grande relevância, entre eles o Profissão Repórter, do excelente Caco Barcellos. Nos últimos anos, a situação se complicou. Não apenas plataformas de streaming como a Netflix passaram a disputar o público, fazendo com que muita gente substituísse as novelas pelas séries, como também a Record, grupo ligado à Igreja Universal do Reino de Deus, uma das mais poderosas evangélicas neopentecostais do país, descobriu o filão das novelas bíblicas para disputar a audiência em horário nobre.

Para ganhar o mercado é preciso capturar as almas. O cálculo é simples: por que os evangélicos assistem às novelas da Globo quando deveriam assistir às novelas da Record, uma TV que pertence a uma Igreja Evangélica? Ou por que dar dinheiro à Globo, via audiência e publicidade, se pode dar esse dinheiro para a Record e colaborar com o enriquecimento da Igreja e de seus bispos? Pastores ligados ao fundamentalismo evangélico têm feito as novelas da Globo sangrarem aos poucos A questão é como convencer os fiéis. Como a maioria dos brasileiros, os evangélicos também se criaram assistindo às novelas da Globo. Sem esquecer que as novelas da Globo atingiram o status de produto de exportação no final do século 20 e marca cultural do Brasil. O filão bíblico, com o marco de Os dez mandamentos, novela da Record que ameaçou a audiência da Globo no mesmo horário, ajudada pela ampla propaganda dos pastores, foi a forma encontrada. Mas isso ainda não era suficiente, porque é difícil mudar velhos hábitos. Nos últimos anos, o conteúdo das novelas da Globo vem sendo atacado. Como as hienas, pastores ligados ao fundamentalismo evangélico foram mordendo pelos flancos, fazendo as novelas da Globo sangrarem aos poucos. Há pelo menos dois efeitos nesses ataques sistemáticos que se iniciaram anos atrás: 1) para a Igreja Universal é positivo, porque atrapalha a líder de audiência e faz com que aumentem as chances de crescimento da audiência da Record, e especialmente a de suas novelas, como a recentemente lançada com um nome sugestivo e personagens que poderiam sugerir uma trama sórdida no Vaticano: Apocalipse; 2) para outras denominações, com destaque para setores da Assembleia de Deus, é um instrumento de pressão para conseguir mais espaço para os evangélicos e seus produtos na própria Globo, especialmente as lideranças evangélicas inimigas do Bispo Edir Macedo, que não querem ver a Record mais poderosa. Nem sempre (ou mesmo raramente) o que se diz em público é o que se negocia nos bastidores. Com frequência os ataques podem ser uma demonstração de força para sentar à mesa de negociações com mais cartas altas para botar no centro. A ofensiva culminante aconteceu semanas atrás, no lançamento da nova novela das 21h, a principal da Globo, que estreou em outubro. O outro lado do paraíso, folhetim que trata temas como violência doméstica, racismo e homofobia, vem sofrendo uma ampla campanha de difamação que a torna, em grupos evangélicos, uma “obra do demônio”. Mensagens delirantes com o título de “Globo Demoníaca” pipocaram em grupos de WhatsApp os mais diversos: “Não deixe sua família assistir à nova novela da Globo. Rede Globo anunciou guerra contra os cristãos e estreou a novela que afronta a família brasileira. Traições, pedofilia, sexo com animais, ritual satânico, destruição da família, e muito mais na nova novela da Globo.

Escrita por um gay, a novela O outro lado do paraíso, da TV Globo, está no ar de segunda à sexta. A novela gay promete atacar os cristãos. A trama da nova novela das 9 vai mostrar um caso em que um homem casado deixa sua família para ter um caso secreto entre dois homens e um gay ‘que tem relação sexual com um bode’. A novela vai trazer ainda o caso onde dois meninos de 8 começam a namorar na escola e mostrará cenas de sexo entre duas crianças, incentivando nossos filhos a fazerem o mesmo. Como se não bastasse, a novela deverá apresentar rituais de magia negra, fazendo oferenda para demônios e quem assistir vai estar automaticamente fazendo pacto com demônios e sua casa passará a ser perturbada por entidades malignas. Avise para toda sua família, não deixe seus parentes assistirem a essa novela!”. Ou um vídeo com um pastor, supostamente da Assembleia de Deus, gritando e fazendo associações entre nomes de novelas e de programas da Globo com “Satanás” ou o “Capeta”. Termina vociferando: “Mas ainda existe uma igreja na Terra que desliga a TV na hora da novela e já está com o passaporte carimbado para a Nova Jerusalém. Deixa eu ver quem vai, deixa eu ver quem vai... Não troque os versículos da Bíblia pelos capítulos da novela!”. É interessante perceber, neste vídeo, que a orientação é desligar na hora da novela. Assim, na hora do noticiário, pressupõem-se que a TV esteja ligada na Globo, o que é uma mensagem sutil. Em diferentes regiões do país, vereadores e deputados que se apresentam como evangélicos têm pregado contra a Globo em pronunciamentos nos espaços legislativos, assim como pastores de algumas denominações em seus cultos. Os temas morais passaram a ser bandeiras de ataques de outros grupos não identificados como religiosos, ampliando o alcance da ofensiva moralista com fins políticos e de ocupação do poder Também há ataques virulentos de lideranças evangélicas fundamentalistas em vídeos disseminados no YouTube e replicados em redes sociais. Nestes vídeos, as lideranças conectam-se com o discurso de milícias como o Movimento Brasil Livre (MBL), ligando pedofilia e política. Ou talvez seja mais preciso dizer que as milícias de ódio da internet é que aprenderam com tais lideranças evangélicas. Em frases supostamente em defesa das crianças, infiltram termos como “esquerdopata”, assim como o nome do PT, fazendo uma ligação com o olhar cravado nas barganhas de hoje, mas principalmente no que podem conseguir em 2018. Terminam profetizando o fim da Globo. Não o boicote apenas, mas o “apagamento”. Se os ataques de grupos evangélicos fundamentalistas a novelas da Globo já se repetem há alguns anos, o momento hoje é muito mais delicado.

Por várias razões: 1) temas morais passaram a ser bandeiras de ataques oportunistas por outros grupos não identificados como religiosos, bastante barulhentos e com poder de disseminação nas redes; 2) lideranças evangélicas igualmente estridentes e que já atuavam nesta frequência se associaram a essa campanha, ampliando uma atuação que já exercem há muito, com fins políticos e de ocupação de poder; 3) com um governo e um presidente acossados pela Lava Jato fazendo qualquer barganha para se manter no Planalto e fora da cadeia, deputados identificados com o que chamam de “bancada evangélica” têm ganhado cada vez mais força no balcão de negócios que se tornou Brasília; 4) há uma eleição complicadíssima e imprevisível em 2018. Quando a Globo defendeu a renúncia de Temer em editorial, uma parcela dos brasileiros descobriu que a Globo pode muito, mas não pode tudo Havia uma crença um tanto generalizada de que a Globo era tão poderosa que poderia fazer e derrubar presidentes. Não há dúvida de que sua influência é enorme. Mas, quando o jornal O Globo denunciou a conversa comprometedora entre o presidente e Joesley Batista, e todo o jornalismo da rede concentrou seu noticiário neste episódio, ficou comprovado o óbvio: há forças igualmente poderosas no país e o pensamento destes jogadores nem sempre está coeso. Há rachas no topo da pirâmide. A Globo fez um editorial defendendo a renúncia de Temer, e ele nem renunciou nem caiu. Uma parcela dos brasileiros só descobriu ali que a Globo pode muito, mas não pode tudo. E esse fato não passou despercebido em setores da sociedade muito diversos. No início do mês, a Globo afastou rapidamente um de seus principais âncoras, William Waack, após a divulgação de um vídeo em que o jornalista fazia um comentário racista antes de entrar no ar. Meses atrás, demorou bem mais para afastar um de seus principais galãs de novelas, José Mayer, acusado de assédio sexual por uma funcionária. Mas o afastou. No campo das questões raciais, um tema cada vez mais presente no Brasil, a rede sofre ainda com o livro Não somos racistas – uma reação aos que querem nos transformar numa nação bicolor (Nova Fronteira, 2006), de Ali Kamel, diretor geral de Jornalismo e Esportes da TV Globo.

O revés mais pesado para a maior rede de comunicação do país, porém, talvez ainda esteja por vir, com a delação do empresário argentino Alejandro Burzaco, ex-diretor da empresa de eventos esportivos Torneos y Competencias. Em depoimento à Justiça dos Estados Unidos, ele afirmou que a TV Globo pagou propinas para conseguir direitos de transmissão de campeonatos de futebol. Em nota lida em seus telejornais, a emissora afirmou que “não pratica nem tolera qualquer pagamento de propina”. No sábado (25/11), o site de notícias UOL publicou que a procuradora geral da República, Raquel Dodge, encaminhou para o Ministério Público Federal no Rio a representação, com base nesta delação, feita por três partidos – PT, PDT e PSOL – de que a Globo pode ter pagado propina na compra de direitos de transmissão das Copas do Mundo de 2026 e 2030, além de jogos da Libertadores e da Copa Sul-América. Depende da decisão da procuradoria do Rio abrir um processo de investigação sobre o caso – ou não. A Globo e os principais episódios da história recente do Brasil estão entrelaçados de várias maneiras. Não há como entender o Brasil desde a ditadura civil-militar até hoje sem compreender a atuação da rede em suas múltiplas dimensões, em especial o telejornalismo, as novelas e a cobertura esportiva.

Nesse momento tão complexo e sujeito à aceleração, é preciso prestar muita atenção em para onde vai aquela que ainda é a mais poderosa rede de comunicação do país, assim como prestar muita atenção em como a Globo lidará com os novos desafios, tudo isso expressado em sua grade de programação e em seu conteúdo. Com tantos sentidos em disputa, o anúncio feito por Luciano Huck afirmando que não pretende concorrer à presidência em 2018 deve ser uma notícia que a Globo estava ansiosa para dar.

Eliane Brum é escritora, repórter e documentarista. Autora dos livros de não ficção Coluna Prestes - o Avesso da Lenda, A Vida Que Ninguém vê, O Olho da Rua, A Menina Quebrada, Meus Desacontecimentos, e do romance Uma Duas. Site: desacontecimentos.com Email: elianebrum.coluna@gmail.com Twitter: @brumelianebrum/ Facebook: @brumelianebrum

TV digital em Campinas e região-Novo adiamento deixa liberdade para emissoras fecharem sinal

O GIRED informou que a data limite de 17 de janeiro de 2018 não obriga as emissoras a manter seu sinal analógico no ar ou esperar para abrir seus canais em HD na data limite.
As tvs podem,a partir de HOJE,desligar seu sinal analógico a qualquer momento desde que já tenham aberto seus canais em alta definição. Portanto as pessoas devem ficar atentas e sempre realizarem nova busca de canais se a emissora estiver fora do ar no analógico.

terça-feira, 28 de novembro de 2017

SABOTAGEM TECNOLÓGICA- Parabólicas atrasam implantação da TV digital no interior de São Paulo

Previsto para ocorrer nesta quarta-feira (29), o apagão analógico no interior de São Paulo foi adiado. Nenhuma das cinco regiões que deveriam desligar os transmissores de TV analógicos atingiu o índice de 93% de digitalização em pesquisas realizadas pelo Ibope.

As antenas parabólicas são apontadas como as principais vilãs. Santos é a região metropolitana com maior índice de domicílios com televisores digitais ou com conversores digitais: 89%, segundo o Ibope. Lá, o apagão analógico foi reagendado para o próximo dia 20. Em Campinas, onde 27% das casas têm antena parabólica, e no Vale do Paraíba, o desligamento dos transmissores analógicos ficou para 17 de janeiro. As duas regiões têm hoje 88% de domicílios prontos para a TV digital. Ribeirão Preto, com 84% de digitalização, e Franca (80% de digitalização e 28% de penetração das antenas parabólicas) terão um pouco mais de tempo.
O apagão analógico só ocorrerá nessas duas cidades em 31 de janeiro se novas pesquisas apontarem digitalização próxima de 93%. Muitos telespectadores têm resistido à TV digital porque estão satisfeitos com o que recebem das antenas parabólicas, ou seja, mais de 30 emissoras _de Globo a Futura, passando por Record News e Esporte Interativo_ e sinal de qualidade em qualquer lugar, na cidade ou no campo. Quem mora em sítio teme investir em um televisor digital e não receber o sinal porque está distante da antena. Um outro vilão poderia ser a condição econômica. Mas as instituições envolvidas no processo de substituição da TV analógica pela digital vêm distribuindo kits de conversores a famílias cadastradas em programas sociais do governo. Já foram entregues 7.150.000 kits, que custaram cerca de US$ 150 milhões.

CAMPINAS E REGIÃO-ADIAMENTO DO DESLIGAMENTO DA TV ANALÓGICA REVOLTA ESPECTADORES

O segundo adiamento para o desligamento da tv analógica na região de Campinas-SP está revoltando internautas e expõe a incompetência do GIRED na implantação do sinal digital.

Abaixo algumas opiniões de internautas sobre mais esta atitude ridícula:-
"Vixe, Nossa Senhora, a crise está mais brava do que eu imaginava! Vou checar nas emissoras, para ver se a mensagem continua no "Falta 1 Dia". Literalmente falando, é o fim da picada. Ainda bem que temos 20 canais firmes da região de Campinas chegando a Cabreúva. Outras praças, como Jundiaí, ainda mal assistidas, terão, é lamentável, de esperar quase 60 dias, a partir da informação passada pelo Juca. O pessoal da NET e companhia bela devem estar morrendo de rir!:confuso: E as foto-ópticas também!"
"E provavelmente o desligamento foi adiado não devido ao despreparo da população mas devido a imensa falta de profissionalismo das outras emissoras que não conseguiriam chegar em tempo nas pequenas cidades da região. Estas outras lamentam a baixa audiência e esquecem do que importa, não adianta ter um bom programa se não conseguem ser captados, como sempre ocorreu com o sofrido sinal analógico. Mesmo que muitos não concordem com a linha editorial, parabéns a EPTV aqui e Globo em todo o país que fazem por merecer a esmagadora audiência."
"Vergonhoso, nojento, nos somos feitos de palhaço primeiro a troca dos extintores de carro, depois as tomadas e plugs, agora tv digital, nada que depende do governo no brasl funciona, a gente vive pra pagar altos salarios pra funcionarios publicos incompetentes que não tem comando de nada.Horrivel se isto se confirmar, quanta gente correu atras disso a toa."
"Por causa de 2% de irresponsáveis, todo mundo paga o pato. É impressionante como não se cumprem cronogramas no nosso país, sabendo-se que esse prazo já havia sido prorrogado."
"Fim do ano né gente, imagina o que isso vai incentivar o comércio no natal?"
"Impressionante como no Brasil não se cumprem os prazos. E nas emissoras ficavam dizendo:" corre que se não vc vai ficar sem ver tv" e agora muda tudo novamente. Parece piada com a cara da gente!" "esse é o Brasil...do extintor, do material de primeiro socorro, de desligamento de sinal analógico....de politicagem...enfim....que dá uma raiva...ah se dá"
"Duvido-de-o-dó que as cidades não tenham atingido os 90% de cobertura previstos em lei. Sobretudo com a farta distribuição gratuita de conversores e antenas por parte do Governo. Lembremo-nos também de que há mais de 8 anos os receptores de televisão analógica deixaram de ser fabricados no Brasil. Creio, não posso confirmar, que a mancada foi das emissoras, que não se preparam adequadamente para fazer a transição do analógico para o digital. Sobre a interpretação do fato de nosso colega VwPhoenix de que o desligamento deve acontecer a partir de 29/11/17 até 17/01/18, discussão aberta pelo colega Jô Vieira, a interpretação do resultado dessa reunião em Brasília merece a avaliação de um especialista em Direito. De minha parte, ratifico o que escrevi acima. Duvido-de-o-dó que não chegamos a 90% de cobertura de sinal digital terrestre, por cabo e satélite."
"Já não basta a tv aberta estar dominada por religião falsa por mentiras e outras coisas ainda somos feitos de Bobo." "

FONTE- HTFORUM

REGIÃO DE CAMPINAS-SP-Desligamento do sinal analógico de TV é adiado para 17 de janeiro de 2018 e revela incompetência do GIRED e das Emissoras de TV

Decisão foi tomada nesta terça-feira (28) pelo GIRED- grupo responsável pela implantação do sinal digital- que acha que é necessário mais tempo para as residências estarem adaptadas. 

A data para o desligamento do sinal de TV analógico de 15 cidades da região de São Carlos, programada para esta quarta-feira (29), foi adiada para 17 de janeiro de 2018.

A mudança foi determinada na manhã desta terça-feira (28) pelo Grupo de Implantação do Processo de Redistribuição e Digitalização de Canais de TV e RTV (Gired), em reunião na sede da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em Brasília. De acordo com o Gired, grupo que coordena a implantação do sinal digital no país - formado pelas emissoras de televisão, operadoras de telefonia e representantes do governo -, uma pesquisa mostrou que é preciso mais tempo para que, pelo menos, 90% das residências estejam adaptadas ao novo sinal digital. O sinal analógico de TV será desligado primeiro nos municípios de Aguaí, Águas da Prata, Araras, Conchal, Itobi, Leme, Pirassununga, Porto Ferreira, Rio Claro, Santa Gertrudes, Santa Cruz da Conceição, Santa Rita do Passa Quatro, São João da Boa Vista, Tambaú e Vargem Grande do Sul. As demais cidades do interior paulista têm o desligamento do sinal analógico programado para 28 de novembro de 2018.

Filme Cinquenta Tons de Liberdade estreia em Fevereiro

Quando a ingênua Anastasia Steele conheceu o jovem empresário Christian Grey, teve início um sensual caso de amor que mudou a vida dos dois irrevogavelmente.

Chocada, intrigada e, por fim, repelida pelas estranhas exigências sexuais de Christian, Ana exige um comprometimento mais profundo. Determinado a não perdê-la, ele concorda. Agora, Ana e Christian têm tudo: amor, paixão, intimidade, riqueza e um mundo de possibilidades a sua frente. Mas Ana sabe que o relacionamento não será fácil, e a vida a dois reserva desafios que nenhum deles seria capaz de imaginar. Ana precisa se ajustar ao mundo de opulência de Grey sem sacrificar sua identidade. E ele precisa aprender a dominar seu impulso controlador e se livrar do que o atormentava no passado. Quando parece que a força dessa união vai vencer qualquer obstáculo, a malícia, o infortúnio e o destino conspiram para transformar os piores medos de Ana em realidade.


Curiosidades: 
 » Terceiro livro da franquia ‘Cinquenta Tons de Cinza‘ (Fifty Shades of Grey), de E.J. James, romance erótico baseado em ‘Crepúsculo‘.
» Niall Leonard, o marido da autora E.L. James, foi escolhido para adaptar ao cinema o segundo livro da saga de sua mulher. Sam Taylor-Johnson, a diretora do primeiro filme, não retornará para a continuação. A notícia veio depois de vários rumores de constantes discussões entre Taylor-Johnson e James durante as filmagens do primeiro filme.
» As filmagens de ‘Cinquenta Tons Mais Escuros’ devem começar no início de 2016.
» No Brasil, em apenas 10 dias (de 12 a 22 de Fevereiro), o longa ultrapassou a marca de 4 milhões de espectadores no Brasil, faturando incríveis R$ 55 milhões e se tornando até então a maior bilheteria de 2015 (título que agora pertence a ‘Velozes e Furiosos 7‘). No mundo, ‘Cinquenta Tons de Cinza’ já passou a marca dos US$ 550 milhões.
» Fenômeno literário, ‘Cinquenta Tons de Cinza‘ teve 40 milhões de livros vendidos em poucos meses. Só os sete volumes de ‘Harry Potter‘ superam a velocidade em que os livros se esgotaram nas lojas norte-americanas.

‘A Hora do Pesadelo’ encontra ‘Sobrenatural’ no trailer do terror ‘The Midnight Man’

O próximo filme do diretor do remake de ‘Cabin Fever’, Travis Nicholas Zariwny, é o intrigante ‘The Midnight Man’.

O ícone do terror Robert Englund (ator que viveu o Freddy Krueger em A Hora do Pesadelo) e Lin Shaye (da franquia Sobrenatural) estrelam o filme, que segue uma menina e seus amigos que jogam um jogo macabro e acabam convocando uma criatura conhecida como The Midnight Man (Kyle Strauts) que usa os seus piores medos contra si mesmos. O elenco também inclui Gabrielle Haugh (Olhos Famintos 3), Grayson Gabriel, Summer Howell, Keenan Lehmann, Meredith Rose, Michael Sirow. O longa é baseado em um antigo ritual pagão chamado “The Midnight Game”. O lançamento aconteceu em 09 de novembro nos EUA e deve chegar ao Brasil apenas no ano que vem.

Nova temporada de Arquivo X já tem data de estreia confirmada no Brasil

A 11ª temporada de Arquivo X, já tem data de estreia no Brasil: logo após a virada do ano, no dia 10 de janeiro, às 23h00, vai ao ar o episódio duplo (o primeiro e o segundo) no canal FOX.

Os episódios chegam por aqui poucos dias depois da estreia americana, confirmada para o dia 3 de janeiro. A nova temporada de The X-Files marca o 25º aniversário da série, e conta com o retorno dos agentes do FBI Scully e Mulder, interpretados por Gillian Anderson e David Duchovny. Vencedora de 16 prêmios Emmy e cinco Globos de Ouro, Arquivo X foi lançada em 1993 e ficou no ar por nove anos consecutivos, tornando-se um hit de ficção científica e uma das franquias mais famosas do mundo.

SP-Desligamento de Tv Analógica ocorrerá nas regiões de Campinas, Franca, Ribeirão Preto, Santos e Vale do Paraíba.

AMANHÃ,29, o desligamento ocorrerá em todos os municípios das regiões de Campinas, Franca, Ribeirão Preto, Santos e Vale do Paraíba. 

A partir desta data, os canais abertos de TV (Globo, STB, Record, Bandeirantes, RedeTV, entre outros) só funcionarão com o sinal digital. Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), com a mudança, a transmissão de canais da TV aberta no Brasil será de melhor qualidade e com mais estabilidade, sem chuviscos, ruídos, chiados e interferências. Para se preparar para a mudança, o telespectador tem até AMANHÃ para verificar se sua antena já é digital e se o aparelho de televisão precisa de um conversor externo, que transforma o sinal digital em analógico e permite que a TV continue transmitindo a programação.
Muitas emissoras estão com a implantação atrasada.No município de AMPARO em SP,por exemplo,5 canais poderão sumir do mapa dia 29:Tv Gazeta,Tv Canção Nova,Tv Século 21,Record News e Rede BAND.
Se o aparelho for televisão de tubo, será necessário instalar um conversor de sinal. Se for de tela fina e não tiver o conversor embutido, também precisará de um conversor de sinal. Para ter certeza se o televisor já tem o conversor embutido, a orientação da Anatel é que o consumidor consulte o manual do fabricante. Os aparelhos analógicos que possuem acesso à TV por assinatura já recebem o sinal digital das TVs abertas sem necessidade de conversor digital. As pessoas que participam de algum programa social do governo federal nas 19 cidades que migrarão do sinal analógico para o digital ainda podem agendar a retirada gratuita de seu kit, contendo conversor, antena e cabos, pelo telefone 147 (ligação gratuita) ou pela internet. Esse canal de atendimento foi disponibilizado pela Anatel. Para saber se tem direito, é necessário acessar o portal www.sejadigital.com.br/kit. No município, o Seja Digital, entidade não governamental e sem fins lucrativos, responsável por operacionalizar a migração do sinal de TV no Brasil, promoveu mutirões para distribuição gratuita do kit conversor às pessoas que têm direito.

Hoje, a maioria dos televisores possui receptor integrado, mas para que o aparelho de televisão convencional, sem receptor integrado, consiga receber a imagem digital é preciso do equipamento, o Conversor de TV Digital, mais conhecido como Set-Top Box, que faz a interligação entre a Antena e o Televisor. Ele é conectado à antena, que receber o sinal digital, e o transforma em um sinal compatível com o televisor. O receptor tem uma entrada para a antena e várias saídas, tais como: Vídeo Composto (hoje, o mais utilizado), Vídeo Componente, S-Video e a mais nova interface, HDMI (High-Definition Multimedia Interface). O aparelho pode ser facilmente encontrado em diversas lojas. É importante lembrar, no entanto, que existem vários modelos diferentes, o que faz com que os preços variem muito.

As antenas digitais também são de diversos modelos. “Primeiro eu havia comprado uma antena, mas percebi que dois canais não estavam funcionando: a Record e o SBT. Votei ao local onde fiz a compra e troquei por um outro modelo. Quando instalei, todos os canais pegaram imediatamente”, explica um aposentado. Uma dona de casa fala sobre a qualidade do sinal digital. “Fiquei impressionada com a qualidade da imagem. A diferença realmente é muito grande, pois tudo fica mais nítido”, completa. Veja se você precisa adaptar seu televisor

TV de tubo: Independente do ano de fabricação, não é digital.
TV LED, LCD ou Plasma sem o selo DTV: modelos fabricados até 2010, provavelmente não são digitais. A partir de 2010, provavelmente são. Para ter certeza, confira o manual da sua TV ou ligue para o fabricante.

TV LED, LCD ou Plasma com o selo DTV: Independente do ano de fabricação, é digital.
Entenda as mudanças práticas da migração para o sinal digital 
Por mais que a maioria já esteja preparada para a transição, a mudança do sinal analógico para o digital ainda é alvo de muitas dúvidas. Afinal o quê de fato será mudado? Por que a novidade é melhor? E de fato, é melhor? Confira as respostas dessas e outras questões que têm rondado o assunto.
Qual a real diferença entre os tipos de sinal? 
Calma, essa não é uma daquelas perguntas que demandam horas de explicações e complexidades. Na verdade, é bem mais simples do que se pode imaginar. Você já viu serviços como o Netflix e o Youtube que permitem “jogar” o seu conteúdo do celular ou tablet para a TV? Uma das diferenças do sinal digital para o analógico é a possibilidade de convergência de mídias, que permite a constante transferência de dados. Além disso, o espectador pode ser interativo com os programas de TV, como por exemplo, responder instantaneamente à enquetes, etc. algo bem próximo do que já ocorre nas livres transmitidas pela internet, de modo geral.
Quais são as vantagens? 
Se o sinal analógico apenas propaga áudio e vídeo, a televisão digital (DTV) dá margem para a ampliação das mídias convergentes anteriormente citadas. Sem contar o som e a imagem de maior qualidade – passou de 480×360 pixels para 704×480 pixels.
Outra vantagem da novidade é que se antes a comunicação funcionava de um modo: um para todos, agora poderá ser bidirecional, o que permite que o espectador, de fato, seja ouvido pelas emissoras em si e opine ativamente – e com chance de escuta – sobre determinados temas e assuntos.
O que fazer para receber a novidade? 

Caso o seu aparelho tenha sido fabricado após 2010 é praticamente certo que o seu televisor tenha capacidade de receber a novidade. Mas se a sua TV é mais antiga, não tem problema, o sinal se molda para todos os aparelhos. Entretanto, se a sua televisão é de tubo, para receber o sinal é preciso um conversor externo na entrada de vídeo, por meio de um cabo RCA. Além disso, também é necessária a instalação de antena UHF e conectá-la no aparelho ou no conversor.
Vale ressaltar que nem todas as TVs, que possuem tela fina, têm porte para receber o novo sinal, e caso ela não se enquadre, os mesmos procedimentos citados para a o aparelho de tubo devem ser feitos na TV.
O que é preciso para receber o sinal digital 
Se o televisor de tela plana foi comprado a partir de 2010, já tem acesso digital – tudo o que precisa é fazer a conexão com a antena própria ou coletiva Se o televisor for de tela plana comprado antes de 2010, é preciso verificar se o aparelho veio com conversor integrado. Caso não tenha vindo, é preciso adquirir o conversor separadamente Se o televisor for de tubo, também precisa de conversor. Os beneficiados pelos programas sociais federais, como Bolsa Família, podem se inscrever no site sejadigital.com.br e receber o equipamento de graça.

domingo, 26 de novembro de 2017

Caras héteros revelam por que eles amam estímulos anais

Um cara hétero disse: ' Amor Anal realmente faz de você um homem ' 
Héteros revelam por que eles amam ter seus ânus penetrados 

Mais e mais homens heterossexuais estão amando prazeres anais, pelo menos de acordo com um teste proeminente. É um fenômeno conhecido como pegging e é a idéia de uma mulher realizar sexo anal em um homem, geralmente com um vibrador ou Strap-on. O pegging foi a tendência mais quente do sexo em 2016, e longe de ser uma moda passageira, está se tornando rápido algo que a maioria dos casais tenta pelo menos uma vez." Lembro-me de escrever sobre pegging cerca de 20 anos atrás e reação de todos foi "o quê! Meu namorado/marido não é gay, por que diabos ele iria querer que eu fizesse isso com ele? Mas um tópico recente no Reddit está ajudando a dissipar os mitos sobre os homens heterossexuais que gostam de prazer anal.

A discussão começa com um cara hetero pedindo dicas sobre como estimular o seu ânus. Ele escreve: ' Acabei de descobrir que minha namorada planeja me "comer" amanhã. "Eu não posso dizer que não desde que eu prometi a ela um fim de semana de submissão, permitindo entrar em coisas como espancamento, adoração aos pés e nudez forçada, mas isso é algo novo", disse ele. Ele finalmente pergunta: "Então, qual é a sensação? Um usuário responde: ' como alguém cuja namorada me fode muito regularmente, empurrando para fora faz me sentir ainda melhor, especialmente quando você está perto do orgasmo. Além disso, o conselho usual: lubrificante, lubrificante, e mais lubrificante. Outro advertiu: ' cuidado, cara. "esta é provavelmente a única vez que você não quer ser hiper-masculino.

Se você sentir dor, então converse ", disse ele. Perguntamos a leitores héteros masculinos se eles já tentaram pegging e encontramos algumas respostas surpreendentes. Um homem de 27 anos, com pseudônimo disse: ' Eu disse a ela [sua namorada] eu queria ser penetrado com um vibrador e quando ela fez isso, cheguei ao clímax da maneira mais satisfatória. "Eu nunca me senti assim antes; foi incrível ", disse ele. Da mesma forma, o site PopBuzz entrevistou 10 caras héteros sobre suas fantasias anais. Devin de Detroit disse: ' quando eu sou fodido por minha esposa, isso me permite entender melhor o que é para ela quando ela se senta em cima de mim. E assim, uma vez por mês, ela coloca um consolo e eu monto-a um pouco. Brad de Chicago disse: ' ser comido realmente faz de você um homem.

Ele continuou: ' começamos pela primeira vez com consolo de 12 cms em... e depois um de 16 cms. Estou feliz em relatar que hoje, estamos com um consolo de 20 cms. Nosso objetivo para o ano novo é de 24 cms! Em breve, eu vou ser um homem cheio de energia! Kent de Santa Fe disse: "uma noite, quando eu estava bêbado, eu conversei com minha namorada sobre isso. Antes que eu percebesse, eu estava pulando num baita consolo como se fosse algum tipo de brinquedo. Você é um cara hetero que gosta de pegging?Ou acha que,na verdade,seja tudo uma desculpa para quem não tem coragem de se assumir um homossexual passivo?

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Assassinato no Orient Express-Sequência de Morte sobre o Nilo está sendo filmada com o escritor Michael Green

Há mais Agatha Christie / detetive Hercule Poirot no caminho. Uma sequência de Assassinato no Orient Express, que estreou nos cinemas em 10 de novembro, está acontecendo, de acordo com THR.
A Twentieth Century Fox está preparada para trazer o próximo mistério de Poirot Morte sobre o Nilo para a tela grande. Michael Green (Logan, Blade Runner 2049, American Gods), que escreveu Assassinato no Orient Express está preparado para escrever o roteiro do filme. Ainda não existe um acordo para o diretor Kenneth Branagh, embora ele tenha esperado que volte ao comando e ao papel de Hercule Poirot. "Death on the Nile" foi publicado em 1937. Na história, Poirot estava de férias no Egito e acaba investigando um assassinato que resultou de um triângulo amoroso. A história foi filmada para a telona em 1978 e estrelou Bette Davis, Mia Farrow, Maggie Smith, Angela Landsbury e David Niven. No primeiro filme, que começa como um passeio de trem pródigo pela Europa se desenvolve rapidamente em um dos mistérios mais elegantes, suspense e emocionante já contados. Do romance da autora mais vendida, Agatha Christie, Murder on the Orient Express conta o conto de treze estranhos encalhados num trem, onde todos são suspeitos de um crime. Um homem deve correr contra o tempo para resolver o quebra-cabeça antes que o assassino ataque novamente. Além de dirigir Assassinato no Orient Express, Branagh, cinco vezes nomeado do Oscar, será o detetive Hercule Poirot. A vencedora do prêmio da Academia, Penelope Cruz, interpreta Pilar Estravados, o premiado do Oscar Willem Dafoe é Gerhard Hardman, a vencedora do Oscar, Judi Dench, retrata a princesa Dragomiroff, Johnny Depp, candidato ao Oscar, Ratchett, Josh Gad aparece como Hector MacQueen, Derek Jacobi é Edward Masterman, "Hamilton A estrela Leslie Odom Jr. interpreta o Dr. Arbuthnot, Michelle Pfeiffer, candidata ao Oscar, retrata a Sra. Hubbard e Daisy Ridley interpreta Mary Debenham.

Harry Potter-Filme sobre Voldemort ganha permissão da Warner para ser produzido

Boa notícia para os fãs de Harry Potter! Voldemort: Origins of the Heir, filme independente feito pela produtora italiana Tryangle Films, ganhou a autorização da Warner Bros. para ser produzido, revelou o diretor Gianmaria Pezzato.
Recentemente, o teaser do longa que contará a história de origem de Tom Riddle, inspirado nos eventos de O Enigma do Príncipe, conquistou a internet. Idealizada no ano passado, a produção tinha alguns obstáculos no caminho: restrições de orçamento e a Warner Bros., dona dos direitos autorais do universo Harry Potter. Para conseguir grana, a Tryangle fez uma campanha de financiamento coletivo pelo Kickstarter, mas logo o sucesso da produção chegou aos olhos da Warner, que embarreirou o projeto em julho de 2016. Entretanto, pouco depois, a produtora resolver seguir em frente em negociações com o estúdio. "Tivemos uma discussão privada e confidencial com a Warner Bros, que nos contatou durante o período do financiamento coletivo. A única coisa que posso dizer é que eles nos deixaram continuar com o filme, de um modo não lucrativo, obviamente", afirmou Gianmaria Pezzato em entrevista ao Polygon. A principal razão de eles seguirem em frente com o projeto foi porque decidiram lançar o filme de graça no YouTube. Ainda assim, para arrecadar fundos para finalizar a produção, a Tryangle Films está pedindo doações aos fãs. A produção de Voldemort: Origins of the Heir começou no final do ano passado e a pós-produção está agendada para os próximos meses. O objetivo é que o filme esteja disponível no YouTube no fim do ano.

sábado, 18 de novembro de 2017

‘Lost’: Criador fala sobre a possibilidade de um reboot da série

‘Lost’ é uma das série mais famosas da TV, o que significa que um reboot do seriado poderia acontecer em algum momento. Mas esse não será o caso, segundo um dos seus criadores. Falando durante a New York Comic Con, Calton Cuse negou o retorno da série futuramente. “Damon Lindelof [co-criador] e eu somos bem claros sobre o fato de que não temos intenção de refazer Lost. Sei que há muitos programas que foram refeitos ultimamente, mas não estamos seguindo esse caminho”, afirmou. ‘Lost’ teve 118 episódios e foi originalmente transmitida entre 2004 e 2010 nos Estados Unidos. No Brasil, o seriado passou pelos canais pagos AXN e Sony e na rede aberta pela Rede Globo.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...